sábado, 31 de março de 2012

48 ANOS DO GOLPE MILITAR

O Golpe Militar de 1964 designa o conjunto de eventos ocorridos em 31 de março de 1964 no Brasil, e que culminaram no dia 1 de abril de 1964, com um golpe de estado que encerrou o governo do presidente João Belchior Marques Goulart, também conhecido como Jango. Entre os militares brasileiros, o evento é designado como Revolução de 1964 ou Contrarrevolução de 1964.
Jango havia sido democraticamente eleito vice-presidente pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) – na mesma eleição que conduziu Jânio da Silva Quadros do Partido Trabalhista Nacional (PTN) à presidência, apoiado pela União Democrática Nacional (UDN).
O golpe estabeleceu um regime alinhado politicamente aos Estados Unidos da América e acarretou profundas modificações na organização política do país, bem como na vida econômica e social. Todos os cinco presidentes militares que se sucederam desde então declararam-se herdeiros e continuadores da Revolução de 1964.
O regime militar durou até 1985, quando Tancredo Neves foi eleito, indiretamente, o primeiro presidente civil desde 1960.
ANTECEDENTES
Jânio renunciou ao mandato no mesmo ano de sua posse (1961), e quem deveria substituí-lo automaticamente e assumir a Presidência era João Goulart, segundo a Constituição vigente à época, promulgada em 1946. Porém este se encontrava em uma viagem diplomática na República Popular da China. Militantes então acusaram Jango de ser comunista e o impediram de assumir seu lugar como mandatário no regime presidencialista.
Depois de muita negociação, lideradas principalmente pelo cunhado de Jango, Leonel de Moura Brizola, na época governador do Rio Grande do Sul, os apoiadores de Jango e a oposição acabaram fazendo um acordo político pelo qual se criaria o regime parlamentarista, passando então João Goulart a ser chefe-de-Estado.
Em 1963, porém, houve um plebiscito, e o povo optou pela volta do regime presidencialista. João Goulart, finalmente, assumiu a presidência da República com amplos poderes, e durante seu governo tornaram-se aparentes vários problemas estruturais na politica brasileira, acumulados nas décadas que precederam o golpe e disputas de natureza internacional, no âmbito da Guerra Fria, que desestabilizaram o seu governo.
Em 1964 houve um movimento de reação, por parte de setores conservadores da sociedade brasileira - notadamente as Forças Armadas, o alto clero da Igreja Católica e organizações da sociedade civil, apoiados fortemente pela potência dominante da época, os Estados Unidos da América - ao temor de que o Brasil viria a se transformar em uma ditadura socialista similar à praticada em Cuba, após a falha do Plano Trienal do governo de João Goulart de estabilizar a economia, seguido da acentuação do discurso de medidas vistas como comunistas na época, as quais incluíam a reforma agrária e a reforma urbana. Na época, falar em pobreza, distribuição de renda e saúde significava ser tachado de comunista, mesmo quando não fosse o caso.
No dia 13 de março daquele ano, data da realização de comício em frente à Estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro, perante trezentas mil pessoas, Jango decreta a nacionalização das refinarias privadas de petróleo e desapropriação, segundo ele para a reforma agrária, de propriedades às margens de ferrovias, rodovias e zonas de irrigação de açudes públicos. Desencadeou-se uma crise no país, com a economia já desordenada e o panorama político confuso. A oposição militar veio à tona para impedir que tais reformas se consolidassem, impondo o que consideravam manutenção da legalidade e da restauração da ordem.
Por isso, e pela falta de mobilização das camadas populares da sociedade, a extensa maioria dos críticos do movimento de 1964 qualifica-o como um golpe de estado. Mesmo para uma parte dos militares, a começar pelo ex-presidente Geisel, também é claro que não houve uma revolução, mas um movimento "contra" alguma coisa (corrupção, subversão da ordem, etc.). Para outras lideranças militares, a definição mais adequada para o movimento de 1964 seria a de uma contrarrevolução.

sexta-feira, 30 de março de 2012

TIRADENTES VOLTA AO G4

João Neto fez o gol da vitória
O Tiradentes venceu fora de casa o Trairiense pelo placar de 1 a 0. A partida foi realizada no Estádio Barrosão em Trairi. O único gol do jogo foi marcado por João Neto aos 41 minutos do primeiro tempo.
Com o triunfo o Tigre da PM volta ao grupo dos quatro melhores colocados. No momento ele ocupa a quarta colocação, com 34 pontos, um a mais do que o Crato. Já o Trairiense está na nona colocação, com apenas 16 pontos, com um ponto a mais do que Guarany e Ferroviário.
O Trairiense só volta a campo no dia 8, às 16horas, contra o Icasa, no Estádio Barrossão. Já o Tiradentes vai até o Estádio do Junco, em Sobral, no próximo domingo (1º de abril), para enfrentar o Guarany de Sobral.

CEARÁ É O NOVO LIDER

Felipe Azevedo marcou 4 gols
O Ceará venceu com facilidade o time do Guarani de Juazeiro, por 5 x 0 nesta quinta-feira (29 de março) no Estádio Presidente Vargas. Quatro gols foram assinalados pelo atacante Felipe Azevedo. Com a 13ª vitória no Estadual, o Vovô é o novo líder da competição com 42 pontos.
É a mesma pontuação do Fortaleza, que agora é segundo colocado na classificação. No entanto, o Ceará tem um saldo de gols melhor que o do Tricolor do Pici. São 27 contra 18. Quem terminar em primeiro na fase classificatória vai para as semifinais com a vantagem de dois resultados iguais.
FICHA TÉCNICA
Ceará 5 x 0 GuaraCEARÁni
Local: Estádio Presidente Vargas
Data: 29/3/2012
Árbitro: Cleuton Lima
Assistentes: Arnaldo Souza e Samuel Oliveira
Cartões amarelos: Piter (G), Marcinho Guerreiro (G), Jonas (G)
Gols: Felipe Azevedo, aos 5min e 22min do 1º tempo, a 1min e 41min do 2º tempo, Reina, aos 47min do 1º tempo
Renda: R$ 90.407
Público pagante: 9.688 torcedores (Não pagantes: 539. Público total: 10.227) 

CEARÁ: Fernando Henrique; Apodi (Paulo Sérgio), Diego, Potiguar e Márcio Carioca; Heleno, Éverton, Eusébio e Rogerinho (Reina); Romário (Lima) e Felipe Azevedo. Técnico: PC Gusmão 
GUARANI(J): Fábio; Roberto Baiano, Igor, Airton Júnior e Ramon; Piter (Jonas), Marcinho Guerreiro (Marcos Paulo), Wescley e Zé Augusto; Moré (Juranilson) e Jader. Técnico: Washinton Luís

quinta-feira, 29 de março de 2012

FORTALEZA EMPATA COM GUARANY EM SOBRAL

O Fortaleza empatou em 1 x 1 com o Guarany, na cidade de Sobral e garantiu a classificação antecipada para a fase final do certame. Só que ao mesmo tempo que o resultado de igualdade lhe valeu a classificação antecipada, com 42 pontos, pode lhe tirar a liderança, em caso de vitória do Ceará, hoje no PV, contra o Guarani de Juazeiro.
O Tricolor abriu o placar aos 26 minutos, Esley achou Geraldo, que tocou na medida para Rafinha só deslocar o goleiro Marcelo Silva.
No segundo tempo, mais uma vez, o técnico Nedo Xavier "chamou" o adversário para o seu campo, colocando Marielson, quando deveria ter colocado o meia Marquinhos. Não deu outra, novamente levou gol. O lateral esquerdo do Guarany, Rick, partiu para cima da defesa do Leão e acertou passe perfeito, Carlos Henrique empatou e deixar a perigo a liderança do Leão no Estadual-2012.

quarta-feira, 28 de março de 2012

MAIS CHUVA E MUITOS PROBLEMAS

Hoje, quarta-feira (28 de março), Fortaleza amanheceu novamente com muita chuva. E quanto mais chuva na Cidade do Sol, mais problemas para a população, principalmente para os moradores da periferia. No Genibaú, bairro que faz parte do Grande Henrique Jorge, os problemas se agravam ainda mais com a existência do Rio Siqueira que corta o bairro.

Com a ausência de um vereador por aqui, não existem obras que amenizem o sofrimento da população. Todos os anos os problemas se repetem e nenhuma autoridade toma providências para solucionar problemas que acontecem com as chuvas.

ANO DE ELEIÇÃO MUNICIPAL
É importante a população do Grande Henrique Jorge ficar "esperta", pois em 2012 elegeremos, prefeito e vereadores. É nesse momento que vamos saber quem é quem em prol do nosso bairro.

terça-feira, 27 de março de 2012

RACHA DA AMIZADE (WINES GOLEIAM WHITES POR 5 X 2)

Ítalo, o melhor em campo
No Racha da Amizade do último sábado (25 de março), a equipe dos Wines não deu chance aos Whites e venceram por 5 x 2 com supremacia.
Logo no começo, o time de Vinho se impôs, principalmente pela senso coletivo de seus atletas, cada qual com sua função e atentando para o posicionamento, o que não ocorria com o time de Branco, que apesar da qualidade individual de alguns atletas, não correspondiam a expectativa.
IRAPUAN E MARQUINHOS NO DM
Mais uma vez o atleta Irapuan, machucou-se. Desta vez o atleta teve um estiramente no músculo superior da coxa e o atacante Marquinhos "sentiu" a panturilha. Marquinhos possivelmente estará de volta no próximo sábado, mas Irapuan dificilmente se recuperará para o dia primeiro.
FICHA TÉCNICA:
WINES 5 X 2 WHITES
WINES: Caíque (Romário/Jorge), Márcio Torres, Beto, Lucas, Alexandre, Prego, Ítalo, Dudé (Leimar), Irapuan (Felipe), Brandão, Jorge (Romário)
Gols: Jorge, Lucas, Felipe, Brandão e Ítalo.
WHITES: Romário (Caíque), Souza, Gleidson, Matheus, Abner, Bibi, Tarcísio, Jean (Rosalvo), Fernando, Anchieta, Marquinhos (Igor)
Gols: Souza e Igor
Cartão Amarelo: Igor, Rosalvo, Jorge
Cartão Azul: Jorge

CHUVAS EM FORTALEZA E REGIÃO METROPOLITANA CAUSAM TRANSTORNOS

Foram registradas chuvas em 53 municípios cearenses desde as 7h da segunda-feira, 26, até as 7h desta terça-feira, 27. De acordo com informações da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), já foram registrados 97.2milímetros de chuva na Capital.

A maior chuva caiu no município de São Gonçalo do Amarante, Região Metropolitana de Fortaleza, com 113 milímetros.
Também choveu forte em Meruoca, 77 milímetros; Lavras da Mangabeira, 71 milímetros; Trairi, 56 milímetros; e Tianguá, 56 milímetros.

A previsão, segundo a Funceme, é de que continue a chover no Ceará, principalmente no Litoral de Fortaleza e no Litoral do Pecém. Na Região do Cariri, no Interior do Estado, está chovendo, mas a previsão é de que as chuvas diminuam na região, de acordo com a Funceme.

Muitos trabalhadores que se arriscaram ir ao trabalho em Fortaleza tiveram que voltar para suas casas e alguns, que estavam em seus veículos, ficaram presos por um bom período (confira as fotos acima). Todas as vias que dão acesso ao centro da cidade estão bloqueadas pela água.
No bairro Henrique Jorge o problema maior é no Rio Siqueira, que juntamente com o lixo acumulado causam transtornos para os moradores.
Confira um pouco da chuva numa visão no alto das casas do HJ:
video

domingo, 25 de março de 2012

CEARÁ VENCE CLÁSSICO-REI COM JUSTIÇA


Jogo muito disputado, mas, nos minutos
finais, o Ceará, buscou mais o gol.
A equipe do Ceara venceu o Fortaleza, por 1 x 0 nesse domingo (25 de março).
Na primeira etapa o Tricolor foi quem tomou a iniciativa e criou algumas oportunidades. Mas uma partida de futebol ela tem um tempo, no mínimo, de 90 minutos. O técnico Nedo Xavier, do Fortaleza, a partir dos 20 minutos da etapa final, abdicou de tentar vencer a partida. O treinador tricolor tirou Geraldo, que estava cansado e colocou Marielson, que é um bom jogador, mas é volante. Com essa atitude leonina, o Ceará jogou mais dentro do campo do Fortaleza.
Muitos torcedores e alguns analistas do nosso futebol, que não jogaram futebol, acha que o clássico define-se num detalhe. Mas na realidade, o Ceará buscou, no momento de definição, a vitória, enquanto que o Fortaleza queria o empate e foi penalizado com um gol no final da da partida, marcado por Erivelton. Parabéns ao Ceará pela vitória, e ao Fortaleza, resta levantar a cabeça e ter tranquilidade na reta final do campeonato, pois o Leão ainda é o líder.

sexta-feira, 23 de março de 2012

O HUMOR PERDEU O MELHOR DE TODOS: CHICO ANYSIO

O Brasil perdeu hoje um de seus maiores ídolos. Morreu nesta sexta-feira, dia 23, aos 80 anos, o humorista Chico Anysio.
O ator foi internado no dia 6 de novembro com fortes dores na coluna, chegou a receber alta no dia 11, mas voltou ao Hospital Samaritano, em Botafogo (RJ), no dia 6 de dezembro devido a uma febre alta. No dia 21 de dezembro, Chico foi para casa, porém um sangramento no aparelho digestivo o obrigou a voltar para a UTI.
Após apresentar uma piora nas funções respiratórias e renal na última quarta-feira, Chico voltou a respirar com ajuda de aparelhos e, segundo boletins, recebia altas doses de medicação para controlar a pressão arterial, além de ter sido submetido uma punção torácica esquerda com drenagem de grande quantidade de sangue.

Problemas de saúde
A luta de Chico pela vida vem de longa data. Em dezembro de 2010, o artista deu entrada no mesmo hospital com quadro de falta de ar. Após a realização de exames foi diagnosticado um tamponamento cardíaco, que acontece quando o sangue se acumula entre as membranas que envolvem o coração (pericárdio).
"Sobrevivi a isso tudo porque sou forte, sou nordestino. Não tenho medo de morrer. Só acho uma pena, quando ainda tenho tanta coisa a fazer, para ver, tanto filho para ajudar, tanto neto... Mas, um dia, vou morrer. Não posso lutar contra o inevitável”, declarou ele ao jornal "O Globo" depois de passar 110 dias internado.
Entre idas e vindas ao hospital, Malga di Paula, mulher do astro, nunca perdeu as esperanças e costumava relatar em redes sociais seus dias e noites ao lado do humorista.
O ator, humorista, compositor, escritor, pintor, radialista, comentarista e diretor construiu cerca de 210 personagens ao longo da carreira e fez mais de 10 mil shows pelo país e fora dele.
"Tiro os personagens da vida, do que meus olhos veem nas calçadas, nos campos de futebol, nos estúdios, nas casas que frequento, nos restaurantes. O mundo é minha inspiração", dizia
ele.
E é este mesmo mundo que lamenta a perda de um dos mais completos artistas que o Brasil já conheceu: Francisco Anysio Paula Filho.

Vida pessoalChico Anysio nasceu no dia 31 de abril de 1931 na cidade de Maranguape, no Ceará. Registrado como se tivesse vindo ao mundo em 1929 – coisa impossível tendo em vista que sua irmã nasceu no dia 1º de julho do mesmo ano e sua mãe seria incapaz de gerar dois filhos com pouco mais de dois meses de diferença – ele se aproveitou do erro do cartório para fazer tudo aquilo que um menino de 16 anos sonha antes de completar a maioridade: frequentar danceterias, assistir filmes proibidos e dirigir antes do tempo. A idade avançada também causou certos transtornos, como entrar para o exército ainda na adolescência: Chico virou reservista quando tinha oficialmente 16 anos, 18 na certidão e 13 na aparência.
O ator nasceu em uma família com boas condições financeiras. Seu pai era dono de uma empresa de ônibus, além de presidente do clube Ceará Sporting, e era chamado na cidade de coronel, embora não agisse como os coronéis da época. Certo dia a empresa pegou fogo e, como não tinha seguro, ele perdeu tudo.
Pobre da noite para o dia, Chico mudou-se para o Rio de Janeiro com os familiares quando tinha 8 anos.
Numa família de botafoguenses , ele resolveu ser do contra e torcer pelo Vasco. Nunca gostou de praia. Preferia mil vezes estar em casa ou na casa de amigos. "Deem-me uma piscina, o sol, minha mulher, meus filhos com suas famílias e só me ficará faltando carne, sal grosso, três cervejas e um pileque que me colocará a knock-out até a hora de acordar para escutar o jogo ou ir ao jóquei clube ver meus cavalos correndo", diz no texto de sua biografia publicado no site oficial.
Repetiu o ano duas vezes na escola, o que fez sua mãe colocá-lo em um colégio interno. Para se “vingar”, Chico ficou um mês sem aceitar a folga dominical, passando os 30 dias no colégio como se dissesse: se minha família não me quer, eu também não a quero.

Ator porque esqueceu o tênisNos tempos de Fortaleza, quando o pai era empresário, pensava em ser cobrador de ônibus. Depois, ao chegar ao Rio de Janeiro, passou a sonhar com a carreira de jogador. Nunca brilhou nos campos, mas também nunca foi o último a ser escolhido no par ou ímpar.
No mesmo dia em que foi intimado por colegas a comparecer a um jogo no campo do Fluminense, onde a exigência era jogar descalço para não estragar a grama – Chico viu seu destino mudar.
O jogo foi transferido para o campo da Aliança, onde não se podia jogar descalço. Como estava sem tênis, ele pediu para os colegas irem andando na frente enquanto iria buscar o calçado. Ao chegar em casa, viu sua irmã Lupe saindo com um amigo para fazer um teste na Rádio Guanabara e decidiu ir também. Fez dois testes e passou nos dois: radio-ator e locutor. “Por isso eu digo que sou ator porque esqueci o tênis”.
A carreira de humorista começou bem antes, ainda em uma sala de aula, quando imitou a frase de seu professor de francês de forma afeminada. Após arrancar risos dos outros alunos que pediam para ele repetir o feito, Chico inovou ainda mais e acabou sendo expulso da classe.
Na hora do recreio voltou a fazer a gozação de duas formas diferentes e foi aí que começou a pensar que poderia ter talento para a coisa. Passou a imitar a empregada, os conhecidos feios ou com características marcantes, os colegas chatos e puxa-sacos.
Profissionalmente, o humor chegou à vida de Chico Anysio paralelamente à carreira de radialista, quando ele teve a ideia de arrumar uma graninha para pagar o cinema da namorada que poderia arrumar ou para assistir a uma partida de futebol. Com facilidade para imitar vozes famosas como a de Oscarito, James Mason, Saint Clarie Lopes, entre outros, o astro inscreveu-se no concurso de calouros “Papel Carbono”, apresentado por Renato Murce, que na época era líder de audiência na Rádio Nacional.
Para apresentar seu número, escreveu 32 piadas, cada uma com uma imitação diferente. No dia 7 de setembro de 1947, Chico se apresentou no programa e ganhou em primeiro lugar, com 399 dos 420 votos. A vitória lhe rendeu um prêmio de cento e cinquenta mil réis que usou para comprar uma bicicleta para o irmão mais novo.
Sem ser aceito mais nos concursos do Rio de Janeiro, por ganhar todos, o ator decidiu seguir para São Paulo, onde deu continuidade ao sucesso e também acabou sendo excluído das seleções. Tinha desistido de ser artista quando surgiu uma vaga para quem quisesse entrar para o mundo do humorismo. Como já fazia parte do elenco da rádio, escreveu três programas para ver se um deles era aceito. Os três agradaram. “Em 1949 perdi a chance de ser um Tarcísio Meira. Deixei de ser galã e fui transferido para os programas de humorismo, onde tive o prazer de atuar com monstros como Grande Othelo, Chocolate, Batista Rodrigues, Jane Gipsy, Gontijo Teodoro, Luis Brandão, Dália Garcia, entre outros. E aprendi que não se deve competir quando se trabalha. Os comediantes não dividem, somam”. E Chico Anysio só veio a somar com Alberto Roberto, Professor Raymundo, Bozó, Divino, Lobo Filho, Painho, Popó, Gastão, Brazuca, Nazareno, Nicanor e tantos outros

Humor hereditário
Para Chico Anysio o humor é uma característica genética. "Meu primeiro sorriso certamente foi por alguma coisa feita por meu pai - a pessoa mais engraçada que conheci no mundo. Ele não dizia uma frase sem uma piada no meio. Eu me orgulhava dele e posso afirmar que talvez nunca tenha pensado em me tornar um artista - queria ser amado como ele era pelos clientes, operários e amigos. Ele sempre ficava no meio de uma roda, todas as pessoas com olhos fixos nele e, volta e meia, explodindo em estrepitosas gargalhadas. Ele era um humorista e não sabia".

CEARÁ VENCE HORIZONTE EM JOGO CONFUSO

O Ceará não deu chances para o Horizonte e o goleou pelo placar de 3 a 0 em jogo com muitas polêmicas da arbitragem, em partida realizada na noite desta quinta-feira, no Estádio Presidente Vargas. Os gols do Vovô foram assinalados pelo atacante Mota (duas vezes de pênalti) e Romário. Com a vitória, o Vovô pulou para a segunda colocação e agora acumula 36 pontos na competição. Já o Galo do Tabuleiro permanece com 33, mas agora na terceira posição.
JÉFFERSON DESABAFA AO SER EXPULSODepois do primeiro gol do Ceará, de pênalti, o goleiro Jéfferson chutou a bola e o árbitro expulsou o arqueiro horizontino.
- Não foi pênalti. Eles (a arbitragem) querem recuperar o Ceará. Chutei a bola pra cima e passou longe do bandeira. Eu tenho nojo da arbitragem cearense, nojo! - disse o goleiro Jéfferson ao sair de campo.

quinta-feira, 22 de março de 2012

FORTALEZA VENCE COMERCIAL(PI) E AVANÇA NA COPA DO BRASIL

A equipe do Fortaleza precisou apenas do segundo tempo da partida para vencer o time do Comercial do Piauí.
Na primeira etapa o Tricolor de Aço errou muitos passes, principalmente com o meia Esley, que não estava em uma noite feliz, e a torcida não o perdoou, vaiou muito o atleta. No segundo tempo o treinador Nedo Xavier tirou Esley e colocou Marielson, que teve um rendimento muito melhor, e ajudou o time a conseguir a vitória. Agora o Leão, vai pegar o Náutico, pela segunda rodada, com a primeira partida no PV e a segundo nos Aflitos.

NOITE DE JAILSONA noite foi mesmo do atacante Jailson, que fez os três gols da partida. No primeiro, recebeu a bola depois de um cruzamento de Cauê, e fez com uma linda cabeçada. No segundo, Jailson tocou com categoria no canto direito de Vantuir, depois de uma tabela com Geraldo, e no terceiro, recebeu um presente de Cleo, e tocou para a rede adversária.

Ficha Técnica
Fortaleza 3 x 0 Comercial-PIFortaleza: Fábio Lima; Raul (Rafinha), Ciro Sena e Cléber Carioca e Kauê; Leandro, Lucas, Esley (Marielson) e Geraldo (Rômulo); Cléo e Jaílson
Técnico: Nedo Xavier.
Comercial/PI: Vantuir; Alison, Robson Baiano, Cleiton; Barata, Jonas, Bruno Alemão (Wellinton), Victor Hugo (Djalma) e Ismael; Paulinho e Jéfferson
Técnico: Fernando Polozi.
Local: Estádio Presidente Vargas.
Data: 21 de março de 2012 – 20h30min.
Árbitro: Renan Roberto de Souza/PB.
Auxiliares: Kildenn Tadeu de Lucena e Griselildo de Souza Dantas.
Cartões amarelos: Ciro Sena (FOR).
Gols: Jaílson aos 20, 24, e 42 minutos do segundo tempo.
Público pagante: 12.439.
Não pagante: 777.
Renda: R$ 163.656,00.


Confira alguns momentos no PV:

Torcida entrando no estádio, momentos antes da partida:
video

Falta cobrada por Cauê:
video

Gol de Cleo, anulado injustamente pelo árbitro:
video

terça-feira, 20 de março de 2012

DIA DO CONTADOR DE HISTÓRIAS

Desde 1991 é comemorado na Suíça o dia do contador de história. Há poucos anos, 25 países aderiram à data, incluindo o Brasil. Hoje, dia 20 de março, o "Dia Internacional do Contador de História" é dedicado aos que se dedicam à arte de levar, para as demais pessoas, fantasia e mistério em forma de palavras.

segunda-feira, 12 de março de 2012

RICARDO TEIXEIRA RENUNCIA

Depois de 23 anos no comando da CBF, finalmente, Ricardo Teixeira renuncia,
Ricardo Teixeira renunciou à presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), segundo carta do dirigente à entidade divulgada nesta segunda-feira. Ele também deixa o comando do Comitê Organizador Local (COL) da Copa de 2014.
"Deixo definitivamente a presidência da CBF com a sensação de dever cumprido", escreveu Teixeira em carta lida nesta segunda-feira por José Maria Marin, que ocupava a vice-presidência da confederação para a Região Sudeste e assume o comando da CBF.
"Presidir paixões não é uma tarefa fácil em nosso país. Futebol é associado a duas imagens: talento e desorganização. Quando ganhamos exaltam o talento, quando perdemos, a desorganização. Fiz o que estava ao meu alcance, renunciei à saúde. Fui criticado nas derrotas e subvalorizado nas vitórias", acrescentou.
Teixeira havia pedido licença médica da CBF na quinta-feira passada, sem informar por quanto tempo. Marin estava, desde então, na presidência da CBF.
Em fevereiro, houve rumores sobre o afastamento de Teixeira, que comanda a CBF desde 1989.
Alvo de denúncias de irregularidades no comando do futebol brasileiro, Teixeira se reuniu com presidentes de federações estaduais no último dia 29 e indicou que pediria uma licença médica.

RECIFE E OLINDA ANIVERSARIAM

Recife, capital pernambucana
No dia 12 de março, as cidades-irmãs pernambucanas Recife e Olinda fazem aniversário. Apenas dois anos separam a fundação das duas cidades, quase tão antigas quanto o Brasil: Recife, a capital pernambucana, é a mais jovem, completa 472 anos, e Olinda, 474.
A antiga capital de Pernambuco, a Cidade das Sete Colinas é completamente diferente da capital atual. Ela cede de boa vontade ao Recife a vitalidade econômica, mas conserva com ciúmes seu fabuloso patrimônio arquitetônico, reconhecido pela Unesco e declarado Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade. Seu centro histórico, totalmente construído pelos portugueses depois da passagem dos holandeses em 1631, revela uma profusão de estilos (do século 17 ao século 19).
Olinda e seus bonecos gigantes
Olinda cultiva tradições antigas e assume com orgulho seu charme provinciano. Seus habitantes mantêm ainda o hábito de conversar com seu vizinho na janela ou na porta de casa. A cidade revela seus encantos à medida em que circulamos por suas ladeiras e ruelas tortuosas. Dona de um carnaval animadíssimo, Olinda permite reviver os esplendores do passado ao som do frevo e diversos outros ritmos irresistíveis, como o maracatu. Não tem como não se encantar.
Uma das marcas do carnaval de Olinda são os bonecos gigantes (chegam a medir 3,6 metros de altura e pesam cerca de 50 kg), que passam pelas ruas da cidade arrastando milhares de foliões fantasiados e coloridos. São quatro dias de folia invadindo as ruas e ladeiras estreitas da Cidade Alta. Nesta época, todos se misturam: pobres e ricos, velhos e moços, turistas e nativos. O que vale é participar da festa e se divertir!
UM POUCO DA HISTÓRIA
A beleza de Olinda faz jus ao nome. Conta-se que, quando o português Duarte Coelho Pereira lá aportou em 1535, se encantou com o lugar entre a colina, o mar e um porto natural protegido por recifes de coral. “Ó linda situação para se construir uma vila”, teria dito o donatário da Capitania de Pernambuco. Após sua fundação, o povoado de Olinda prosperou comercialmente e enriqueceu, elevando-se a categoria de Vila no ano de 1537.
A partir daí, foi construída grande parte dos monumentos mais importantes da cidade. Olinda foi também um dos centros mais importantes do período colonial brasileiro graças à cana-de-açúcar. Em 1630 os holandeses conquistaram a cidade, incendiaram e mudaram a capital para Recife. Sua capitania só se recuperaria em meados do século XVII, momento em que Olinda foi elevada à categoria de cidade.

domingo, 11 de março de 2012

CEARÁ VENCE FERROVIÁRIO QUE CAMINHA PARA A SEGUNDA DIVISÃO

Rogerinho fez o gol da vitória alvinegra
O Ceará venceu o Ferroviário por 1 x 0 com gol de Rogerinho no segundo tempo. O duelo aconteceu na tarde deste domingo (11 de março), no Estádio Presidente Vargas.
A vitória deixa o Vovô com 30 pontos, atrás do Horizonte, que tem o mesmo número de pontos, mas está melhor nos critérios de desempate. O Tubarão segue na luta contra o rebaixamento, e aparece em 9º lugar com 11 pontos ganhos.
O JOGO
Muita movimentação e pouca qualidade. Esta foi a tônica dos 45 minutos iniciais do Clássico entre Ceará e Ferroviário. Pior na classificação, o Tubarão da Barra engrossou o duelo e quase abriu o placar aos 18 minutos com Raphinha. O meia apareceu livre na entrada da área e tentou bater colocado, tirou do alcance de Fernando Henrique, mas mandou para fora.
A resposta da equipe alvinegra foi apenas aos 38 minutos, mas foi o melhor lance da primeira etapa.
No primeiro lance do veloz atacante Misael, que entrou no segundo tempo, ele passa pela marcação e rola para Rogerinho acertar uma bomba sem defesas para Handerson, 1 a 0 para o Ceará. A vantagem fez o Vovô ficar na defensiva nos últimos minutos de jogo e o Tubarão quase chegou ao empate quando Raphinha acertou o travessão.
A equipe do Ceará volta a atuar no Campeonato Cearense no próximo domingo (18 de março), quando o Ceará enfrenta o Guarany de Sobral, às 17h, no Estádio Presidente Vargas. O Ferroviário, por sua vez, encara o Trairiense, no Barrosão, às 20h20min da quarta-feira (14 de março).

FORTALEZA ABUSA DE PERDER GOLS, MAS VENCE GUARANI E SEGUE LÍDER


Cleo, mas uma vez deixou sua marca
O Fortaleza continua invicto no Campeonato Cearense. Na tarde deste domingo (11 de março), o Leão do Pici foi até Juazeiro do Norte enfrentar o Leão do Mercado e brilhou mais uma vez ao vencer o time da casa por 3 a 2, com direito a inúmeras oportunidades desperdiçadas e pênalti defendido por Fábio Lima.
Pouco antes do duelo, durante o aquecimento, o goleiro Lopes teve problemas ao defender uma bola e teve que ser cortado da partida. O titular tricolor tem suspeita de fratura no dedo indicador da mão direita. O jogo também teve outras duas baixas no Fortaleza, Geraldo recebeu o terceiro amarelo e está fora da próxima rodada; e Jaílson, que entrou no segundo tempo, fraturou o braço ao dividir uma bola com o goleiro Fábio.
O Fortaleza continua na liderança, com 38 pontos. O Guaraju, por sua vez, se mantém com 22 e na zona intermediária da classificação.
A partidaO duelo começou movimentado. Logo aos 6 minutos, o Fortaleza começou a mostrar força quando Rômulo recebeu bola cruzada de Guto, invadiu a área e, na hora do arremate, foi travado.
Em resposta, no minuto seguinte, Bruno Pacatuba avançou com velocidade no ataque e mandou uma bomba para o gol. A bola bateu na rede pelo lado de fora, enganando boa parte da torcida que estava no Romeirão.
Os clubes continuaram alternando oportunidades, em maior quantidade para o Fortaleza, até que, aos 26, Cléo recebeu toque do Geraldo e só teve o trabalho de tirar do goleiro Fábio e empurrar para o fundo da rede, abrindo o marcador.
A resposta do Guarani de Juazeiro só aconteceu aos 41. Em triangulação brilhante, Moré invadiu a áresa, se livrou da marcação e empatou o jogo.
Três minutos depois, o Leão voltou a ficar em vantagem. Cléo invadiu a área pela esquerda e mandou uma bola açucarada para Rafinha, que deixou sua marca.
O bom primeiro tempo se repetiu na etapa derradeira. Logo na saída de bola, o Guaraju foi ao ataque e perdeu a oportunidade de igualar o jogo novamente. Zé Augusto, de cabeça, mandou no travessão e Moré, no rebote, chutou para fora.
Entretanto, a reação do Leão do Mercado acabou por aí. Aos 14, Geraldo, livre, ampliou para o Tricolor, após receber cruzamento de Rômulo.
Aos 17, Fábio Lima fez pênalti em Moré, que entrou sem marcação na área. Na cobrança, o arqueiro tricolor fez linda defesa.
No fim do jogo, aos 47, Juranílson ainda deixou o gol dele, mas não havia tempo para mais nada.

TIRADENTES VENCE ICASA E VOLTA AO G4

Reginaldo Jr. autor de 2 gols (foto ao lado do pai Reginaldo e
o presidente do Tiradentes, Fernandes)
O Tiradentes venceu o Icasa neste sábado (10 de março), por 3 a 0, em jogo válido pela 14ª rodada do Campeonato Cearense. O resultado fez o Tigre voltar temporariamente ao G4.
O destaque do jogo foi o atacante Reginaldo Júnior. O ex-jogador do Fortaleza marcou os dois primeiros gols do Tigre da PM. Manoelzinho fez o terceiro.
O Icasa começou melhor a partida e esteve perto de abrir o marcador. O atacante Bismarck era quem levava mais perigo ao gol do Tigre. Mas a pressão não se concretizou em gols e Reginaldo Júnior abriu o placar, aos 34 minutos.
Quatro minutos depois, aos 38, o mesmo Reginaldo fez o segundo. O gol fez o Icasa desabar e praticamente desistir do jogo. Após os dois gols, o domínio foi totalmente do Tiradentes, que ficou perto de uma grande goleada.
O resultado deixa o Tiradentes com 24 pontos, na zona de classificação para as semifinais. O Icasa continua com 17, longe da zona de rebaixamento. Na próxima fase, o Tigre encara o Ferroviário, no PV. Já o Verdão do Cariri tem o clássico contra o Crato.

RACHA DA AMIZADE (WINES VENCEM WHITES)

Irapuan marcou
um belo gol
No Racha da Amizade de sábado (10 de março), o que prevaleceu foram os gols perdidos e belas jogadas.
O racha começou com um golaço de Irapuan, que aproveitou o tropeço do bom volante Rosalvo, conduziu a bola e cobriu o goleiro Matheus e fez 1 x 0 para os Wines. Momentos depois Anchieta perdeu um gol incrível dentro da pequena área e Brandão cabeçeou por cima depois de uma troca de passes entre Bibi e Irapuan. Apesar das reclamações o time de Vinho era superior, sempre levando perigo para o gol adversário.
Na segunda etapa Felipe aproveitou a falha da zaga dos Whites e ampliou para 2 x 0. Mas Marquinhos, de pênalti, diminuiu o placar, dando números finais ao racha. Tarcísio, que assumiu, na segunda etapa, a função de treinador, conseguiu melhorar sua equipe (Whites), mas não conseguiu evitar a derrota do seu time.
NO DM
Três atletas irão fazer um tratamento intensivo durante a semana no Departamento Médico do RA. São eles: Rafael Brandão, Rafael Honda e Jean, que saíram de campo lesionados. Mas o DM do racha, chefiado pelo Dr. Bruno, com certeza irá recuperá-los para o próximo sábado.

FICHA TÉCNICA
WHITES 1 X 2 WINES
WHITES: Joel, Tarcísio (Bruno), Beto, Leimar (Matheus), Rafael Ronda (Souza), Rosalvo, Ítalo, Fernando, Dudé (Leimar), Kadim (Jean), Marquinhos
Gol: Marquinhos
WINES: Valtecir (Caíque), Márcio Torres, Gleidson, Lucas, Bibi, Prego (Igor), Wellingron, Jorge, Irapuan (Rafael Brandão/Anchieta), Brandão, Anchieta (Felipe)
Gols: Irapuan e Felipe
Cartão Amarelo: Jorge, Wellington

sábado, 10 de março de 2012

DIA DO TELEFONE

Hoje, 10 de março, é o Dia do Telefone. A história do telefone começou com uma grande complicação. Em fevereiro de 1876, o senhor Graham Bell depositou, na Seção de Patentes de Washington, a descrição e os desenhos de um aparelho eletromagnético que permitia a duas pessoas falarem e ouvirem-se a grande distância. Algumas horas depois dele, apresentou-se na mesma seção o senhor Lisha Gray, que consignou a descrição e os desenhos de um aparelho idêntico ao de Bell. A coincidência era muito estranha para não se pensar que um tinha furtado a idéia do outro. E como ambos afirmavam que a invenção era fruto do seu próprio engenho, o caso foi parar nos tribunais.
Aquele pequeno aparelho não era coisa banal: a idéia valia vários milhões de dólares. Realmente, se o telégrafo já estava difundido e, como ele, os sistemas para comunicação à distancia já tinham dado um grande passo à frente, o telefone constituía uma novidade de enorme importância, porque permitiria comunicações imediatas e diretas entre os habitantes e os escritórios de uma mesma cidade. Gray acusou Bell de fraude; no tribunal, Bell jurou que a idéia era sua e acreditaram nele.
Foi constituída uma poderosa sociedade para a exploração da patente: a Bell's Telephone. Mas, durante o processo, que se arrastou por 8 anos, alguns italianos intervieram na pendência, sustentando que o telefone nascera muitos anos antes, graças a um pobre imigrante italiano: Antonio Meucci. Assim, tanto Bell como Gray teriam-no conhecido e, talvez, apenas aproveitado a idéia do inventor.
Mas quem era Antonio Meucci? Nascido em Florença, em 13 de abril de 1808, foi, a princípio, empregado na Alfândega e depois, maquinista teatral. Meucci era um patriota que, pelas suas idéias liberais, ficou na mira da polícia do Grão-Ducado da Toscana. Teve que fugir para a América, seguido pela esposa, Éster Mochi. Na ilha de Cuba, encontrou serviço, como maquinista-chefe, num grande teatro da capital.
Oito anos depois, estava em Nova York, onde viviam muitos italianos. Para viver, Meucci fez um pouco de tudo e, afinal, instalou uma fábrica de velas. Nesse ínterim, tivera a idéia do telefone e dedicava tempo e dinheiro às numerosas tentativas para realizá-la. O dinheiro não era muito e, freqüentemente, para adquirir o material necessário para as experiências, recorria aos pequenos empréstimos do amigo Bandelari, que o auxiliava nas pesquisas.
Em 1857, Meucci conseguiu, finalmente, fabricar um aparelho que funcionava de maneira satisfatória; estudara com enorme empenho durante cinco anos, mantendo-se em dia com todas as novas descobertas no campo das correntes elétricas; provara e tornara a provar o aparelho, superando todos os obstáculos. Houve uma tentativa de constituir uma sociedade para explorar a invenção; mas os capitais, que deviam ser inteiramente italianos, alcançaram uma quantia irrisória. Os patrícios emigrados ou eram gente pobre ou não tinham muita confiança na iniciativa.
Meucci já depositara na Seção de Patentes de Washington uma descrição do aparelho, acompanhada do desenho, feito por um amigo, o pintor Corradi. Mas, depois, tudo lhe aconteceu de errado. Teve que fechar sua pequena fábrica e tentar em vão outras atividades, ficando, porém, reduzido à miséria. Todavia, continuou a aperfeiçoar o telefone e aborrecia-se porque não podia sozinho realizar provas a grandes distâncias. Dirigiu-se então ao Diretor da Western Telegraph Company. A princípio, recebeu promessas e encorajamentos mas, depois, tudo cessou. E, até ao solicitar a devolução dos desenhos, responderam-lhe que não mais se achavam ali. Teriam sido perdidos realmente ou alguém deles se apoderara com a intenção de estudá-los e torná-los seus? Nunca se soube ao certo.
Para cúmulo do azar, em 1871, quando trabalhava perto de uma caldeira, ficou ferido. E aí veio a miséria extrema: Ester, sua pobre mulher, vendeu também os aparelhos em que Meucci se exercitava.
Em 1876, como dissemos, surgiram Bell e Gray e seu telefone foi apresentado na Exposição de Filadélfia. Tratava-se de um rudimentar aparelho, onde o órgão receptor podia ser confundido com o órgão transmissor. Contudo, o aparelho triunfou e Graham Bell recebeu até os cumprimentos do Imperador D. Pedro II do Brasil, que muito o encorajou. Mas, alguns anos depois, o inventor foi acusado de falso juramento e fraude. A acusação provocou forte clamor, acenderam-se polêmicas. O presidente dos Estados Unidos mandou abrir inquérito, descobrindo-se que a Western Telegraph, à qual Meucci entregara seus desenhos, participava dos dividendos de Bell e de sua companhia. Afinal, a Corte Suprema declarou que cabia a Meucci a prioridade da invenção do telefone. Mas todos os direitos de exploração ficariam com Bell, porque o pobre Meucci não havia encontrado a quantia suficiente para pagar a taxa de renovação e já fazia dez anos que sua patente caducara.
O infeliz inventor, velho e doente, vivia na casinha onde tantos anos estivera hospedado Giuseppe Garibaldi. Um alemão de bom coração, Bachmann, havia comprado a residência e fez questão que Meucci ali pudesse terminar seus dias em paz.
O telefone difundiu-se rapidamente pelo mundo todo. Cientistas e técnicos como Hughes e Edison, este último inventor do microfone e muitos outros aparelhos, aperfeiçoaram-no. A partir de então, o
telefone se tornou um indispensável companheiro de nossa vida diária.
O surgimento do telefone móvel - o celular - foi um grande salto tecnológico, que mudou radicalmente a comunicação interpessoal: atualmente, o telefone deixou de ser somente um meio de interação pessoal. Transformou-se não só num veículo de comunicação como num instrumento de trabalho e de lazer. Para os mais aficcionados, é quase um acessório do próprio corpo. Tirar fotos, ouvir músicas ou mesmo acessar a Internet são algumas das possibilidades de se conectar com o mundo inteiro que o homem moderno conquistou. E o que é melhor, sem nem mesmo sair do lugar.
Fonte: Enciclopédia Juvenil/tradução de Jacob Penteado. São Paulo, Lisa, 1972. p.19-21.

quinta-feira, 8 de março de 2012

DIA INTERNACIONAL DA MULHER

O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.
No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado no início do século, até a década de 1920.
Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária.
Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e somente recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960. Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas.
Em 1975, foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres.

CLUBES CEARENSES VENCEM NA ESTREIA DA COPA DO BRASIL

Felipe Azevedo, dois gols
CEARÁ VENCE EM DUAS JOGADAS DE ROGERINHO
Nesta quarta-feira, 7 de março, os clubes cearenses estreiaram bem vencendo seus adversários. O Ceará venceu o time do Gama, em Brasília, por 2 x 0 e assegurou a classificação da segunda fase da competição. Os gols alvinegros foram de Felipe Azevedo, com assistências de Rogerinho, que fez uma bela partida, principalmente na segunda etapa.

Rômulo vibra com os colegas
FORTALEZA DESPERDIÇA VÁRIAS CHANCES
Já o Fortaleza vencia o Comercial do Piauí, com certa facilidade. Com menos de 30 minutos, o placar já está de 3 x 0 para o Tricolor de Aço. Mas em uma bobeira do lateral Rafinha, ainda na primeira etapa o Comercial diminuiu. Na segunda etapa, o Fortaleza desperdiçou diversas oportunidades de gol e quase no final, o time do Piauí fez o segundo gol numa confusão dentro da área. O Leão do Pici, ainda teve pelo menos duas chances antes do término da partida, mas o final o placar ficou mesmo em 3 x 2. A próxima partida está marcada para o dia 14 de março, no Estádio Presidente Vargas. Os gols do Fortaleza foram de Rômulo e Cleo, duas vezes. Descontaram para o Comercial, Jonas e Paulinho Messejana.

Vibação do Galo
HORIZONTE FAZ O DEVER DE CASA
O Galo do Tabuleiro fez o dever de casa direitinho, ao vencer o América de Natal, por 2 x 0 do Estádio Domingão. O time cearense dominou durante todo o primeiro tempo, mas pecava no último passe. No fim do primeiro tempo, o Horizonte abriu o placar, com Elanardo, de pênalti sofrido por André Cassaco. Aos 23 minutos Jó deu números finais a partida, Na próxima quarta-feira (14 de março), os dois times fazem a partida de volta. Com o resultado no Domingão, o Horizonte leva vantagem, podendo empatar ou até perder por um gol de diferença. Em caso de vitória por 2 a 0 do América-RN, a vaga para a próxima fase da competição será definida nos pênaltis.

quarta-feira, 7 de março de 2012

FORTALEZA E CEARÁ ESTREIAM FORA DE CASA NA COPA DO BRASIL


Mota, esperança de gol do Ceará
Ceará e Fortaleza seguiram no início desta tarde de terça-feira (6 de março) para os destinos de suas estreias na Copa do Brasil, na quarta-feira. A rota tricolor é em direção à capital piauiense, Teresina, onde o clube enfrenta o Comercial de Campo Maior-PI, às 22h, no estádio Albertão.
Já a viagem alvinegra é um pouco mais distante. A delegação seguiu para a capital federal. Em Gama, cidade-satélite de Brasília, enfrenta, às 19h30min, o time de mesmo nome. 


NO CEARÁ
O técnico Lula Pereira promove como grande novidade a volta de Erivélton ao time titular. Com isso, a dupla de zaga do time volta a ser formada por dois zagueiros de origem. Então titular da posição, Heleno atuará como volante ao lado de Everton e Bruno, que herda a vaga de Juca. Na meia, Rogerinho segue como titular, enquanto Reina volta a ser opção no banco.
Cleo, atacante tricolor

NO FORTALEZA
Para a partida contra o Comercial, o Fortaleza terá a volta dos atacantes Cléo e Rômulo, este recuperado de lesão. Já o volante Careca, que ficará longe dos gramados por um mês, dará lugar ao meia Esley. O grande destaque do Tricolor, o atacante Cleo, está confirmado e com certeza será uma "arma" importante, principalmente nos contra-ataques.
HORIZONTE TAMBÉM ESTREIA
A equipe do Horizonte, da Zona Metropolitana, também faz sua estreia, no Domingão, contra o América de Natal.

segunda-feira, 5 de março de 2012

FORTALEZA VENCE NO SUFOCO

Em um jogo com baixo índice técnico, o Fortaleza venceu o Trairiense pelo placar mínimo de 1 a 0, em partida realizada no Estádio Presidente Vargas. O jogo foi válido pela 13ª rodada da competição.
O único tento leonino foi assinalado pelo zagueiro Ciro Sena de cabeça ainda na primeira etapa, aos 18 minutos, depois de uma cobrança de escanteio de Marquinhos. Com o triunfo, o Leão do Pici acumulou a sua 11ª vitória e já possui 35 pontos. Enquanto isso, a Lagosta Mecânica continua na zona de rebaixamento na 10ª posição com oito pontos.
Pela 14ª rodada, o Fortaleza encara longe dos seus domínios, o Guarani de Juazeiro, no domingo, às 16horas, no Estádio Romeirão. Já o Trairiense joga no mesmo dia e horário contra o Horizonte, no Domingão.

CEARÁ PERDE EM JUAZEIRO

A equipe do Ceará não "se encontrou" dentro de campo em Juazeiro do Norte e foi derrotado pelo Verdão do Cariri por 2 x 0. Os gols da partida foram assinalados por Obina e Diogo França. O Icasa chegou a 16 pontos e, na 7ª posição, começa a sonhar com uma vaga no G4.
Enquanto isso, o Ceará vê a liderança cada vez mais longe. O time foi apático e teve a postura bastante criticada pela torcida e até pelo técnico Lula Pereira. Agora, o Vovô ainda caiu novamente para a 3ª posição, com 27 pontos, mesma pontuação do Horizonte, mas o time alvinegro perde nos critérios de desempate.
Na próxima rodada, o Icasa tem confronto direto por vaga com o Crato, no Mirandão. Já o Ceará recebe o Crateús no Presidente Vargas, precisando de uma reabilitação.

Confira os melhores momentos da partida:
video

domingo, 4 de março de 2012

RACHA DA AMIZADE (WINES PERDEM MUITOS GOLS, DOIS PÊNALTIS E WHITES VENCEM POR 5 X 3)

Gleidson, fez 4 gols
Em jogo onde os Wines perderam vários gols, e ainda por cima, perderam duas penalidades os Whites aproveitaram melhor as oportunidades e venceram por 5 x 3.
O RACHA
Com o gramado impecável do campo do Tiradentes, os racheiros do Racha da Amizade protagonizaram um excelente racha, onde o toque de bola prevaleceu, principalmente para o time de Vinho que envolvia o adversário e chegaram por várias oportunidades na "cara" do gol. Mas quem abriu o placar foi o time Branco. Com a contusão de Souza, Rafael Ronda entrou totalmente "frio" e Anchieta fez um belo gol aproveitando a falha de marcação do lado direito do sistema defensivo.
Não demorou muito e o Vinho empatou com Yvanzinho. Na segunda etapa os Wines continuaram com o mesmo ritmo e Rafael Brandão virou o placar. Com a contusão do goleiro Márcio, mas uma vez o time Branco aproveitou bem e empatou.
DUAS PENALIDADES PERDIDAS
Em jogada coletiva, bem desempenhada pelos Wines, Irapuan chutou no gol e Márcio Torres, fez uma defesa do voley, o árbitro Dodô marcou pênalti, mas Bibi que estava bem no jogo chutou para fora. A outra penalidade foi perdida por Beto, depois de uma jogada de Rafael Brandão. No final já com o Kadim no gol os Whites fecharam o placar em 5 x 3. Gleidson fez 4 gols, sendo um destaque do racha.

FICHA TÉCNICA
WHITES 5 X 3 WINES
WHITES:Valtecir, Márcio Torres (Alexandre), Gleidson, Tarcísio, Leimar, Rosalvo, Dudé (Lucas), Fernando, Igor (Yvanzinho), Wellington (Jean), Anchieta
Gols: Gleidson (4) e Anchieta
WINES: Márcio, Souza (Rafael Ronda), Beto, Humberto, Alexandre (Kadim), Prego (Matheus), Ítalo, Bibi, Irapuan, Marquinhos (Brandão), Yvanzinho (Rafael Brandão)
Gols: Matheus, Yvanzinho e Rafael Brandão.
Cartão Amarelo: Fernando e Rafael Ronda

sexta-feira, 2 de março de 2012

DIA NACIONAL DO TURISMO

No Dia Nacional do Turismo (02 de março), comemora-se uma atividade geradora de inúmeros serviços. Hospedagem, alimentação, transporte e entretenimento são alguns setores que se beneficiam do movimento trazido pelo turismo e muitas vezes são preparados para operar exclusivamente em função deste ramo. Isto pode ser muito vantajoso, pois o turismo atrai investimentos, gera empregos e permite o crescimento econômico e a melhoria da qualidade de vida da população.
Fazer turismo sempre soa como algo agradável e divertido. Pode também acrescentar-nos cultura e conhecimentos sobre lugares diferentes, com novos hábitos e costumes, ou ainda é sinônimo de aventura. Existe também o turismo de negócios e congressos, principalmente nas cidades grandes. O Brasil atende a todas estas modalidades de turismo e registra um grande crescimento relativo ao setor. Porém, além de comemorar este avanço, é preciso aprender a praticar o turismo consciente, voltado à necessidade de se preservarem os patrimônios naturais e culturais do País.

quinta-feira, 1 de março de 2012

37 ANOS DO LANÇAMENTO DO DICIONÁRIO AURÉLIO

No dia 01 de Março de 1975, foi lançado o Novo Dicionário da Língua Portuguesa, conhecido como Dicionário Aurélio. O Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa, popularmente chamado de Dicionário Aurélio ou simplesmente Aurélio, é um glossário do idioma português, editado no Brasil e lançado originalmente em fins de 1975, tendo vendido na primeira edição (versão completa) mais de um milhão de exemplares até 1987, data da segunda edição. A versão original resultou do trabalho de mais de três décadas do lexicógrafo e Imortal Aurélio Buarque de Holanda Ferreira.
A versão publicada em 1987 continha cerca de 150 mil vocábulos, sendo "inframédia", na definição do próprio autor, já que o português falado no Brasil possui cerca de 400 mil palavras.
Apesar das críticas que se lhe são feitas, o Aurélio tornou-se o dicionário padrão na sociedade brasileira, estabelecendo a norma linguística e lexicológica - mesmo que esta não tenha sido a intenção do autor; a palavra "aurélio" chegou mesmo a se tornar um sinônimo para dicionário.
A confecção do léxico teve início ainda nos anos 1950, quando o poeta Manuel Bandeira convidou o então professor da Fundação Getúlio Vargas, Aurélio Buarque, para auxiliar na redação do "Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa", da Civilização Brasileira.
Após vinte e oito anos na editora Nova Fronteira foi vendido em no começo de dezembro de 2003 para o Grupo Positivo pela viúva de Aurélio Buarque, Marina Baird, por valores não revelados, após terem exigido para renovação do contrato valores então considerados exorbitantes.
Em 1977 foi lançado o Minidicionário Aurélio que vendeu, em razão de seu menor preço e por ter sido distribuído pelo Governo Federal nas escolas públicas, 3 milhões 950 mil exemplares da primeira edição. A versão média do dicionário foi lançada em 1980 e, com vendas atingindo 100 mil exemplares, deixou de ser publicada.
Dos diversos dicionários com versões reduzidas e ditas "escolares", o Ministério da Educação brasileiro analisou vinte e três disponíveis no mercado, em 2005, recomendando (com ou sem ressalvas) dezenove; apenas o MiniAurélio Século XXI Escolar mereceu a classificação de "recomendado com distinção".

FORTALEZA E CEARÁ VENCEM NO SUFOCO

Cleo, garantiu vitória tricolor
O Fortaleza continua líder absoluto do Cearense. Num jogo apertado, o Leão derrotou o Crato por 1 a 0, no estádio Presidente Vargas, e chegou aos 32 pontos no Estadual. A equipe da Região do Cariri manteve a quarta colocação com 19 pontos. O gol da vitória tricolor foi feito por Cleo. O árbitro expulsou o melhor do jogador do Fortaleza nos últimos jogos, o atacante e Cleo, o que motivou revolta da torcida contra Cleuton Lima.
Mota fez gol da vitória alvinegra.
Já o Ceará venceu o Trairiense por 2 a 1, nesta quarta-feira (29) em partida sofrida válida pela 12ª rodada do Campeonato Cearense. Com direito à levar sufoco da Lagosta Mecânica no 2º tempo, o Alvinegro definiu a vitória com gol de Mota no final do jogo.
Com 27 pontos, o Alvinegro volta a segunda colocação na tabela do Estadual, sete pontos atrás do Fortaleza, líder invicto do campeonato, somando 32 pontos em 12 partidas. Já o Trairiense, permanece na 10ª colocação, com apenas nove pontos.

1º DIA DE AULA DO IAN, NO INFANTIL 5 (C7S)